Maggi minimiza proibição da Rússia à carne de frigorífico de irmão de Joesley

Para ministro da Agricultura, decisão dos russos é corriqueira e envolve problema pontual que pode ser resolvido sem maiores consequências para a economia brasileira.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, avaliou como “corriqueira” a decisão da Rússia, que anunciou a suspensão temporária das importações de carne bovina do frigorífico Mataboi, de propriedade de José Batista Júnior, irmão mais velho de Joesley e Wesley Batista. “Esses procedimentos são atitudes quase corriqueiras no mercado. Às vezes, há um lote que está fora do padrão, não está em conformidade. Eles fazem uma suspensão temporária para o produto voltar ao mercado”, afirmou o ministro ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Maggi afirmou que está fora de Brasília e não tem detalhes da decisão do governo russo, mas disse não ver nada de “extraordinário”. Segundo o ministro, o Brasil também adota esse tipo de medida. “São procedimentos normais. É preciso ver qual é o problema e resolver o problema”, completou.

Na avaliação do ministro, a decisão da Rússia, com certeza, não tem nada a ver com a operação Carne Fraca da Polícia Federal, deflagrada em março deste ano para combater corrupção de agentes púbicos federais e crimes contra a saúde pública, que denunciou irregularidades cometidas em frigoríficos do País. “Isso é um problema que deve ter surgido no embarque. É um problema apenas que temos de resolver.”

Em despacho publicado em seu site oficial, o Serviço Federal de Vigilância Sanitária e Veterinária da Rússia anunciou a suspensão temporária das importações de carne bovina do frigorífico Mataboi, citando substâncias fora do padrão sanitário do controle adotado pelo país. A medida passará a valer a partir do dia 15 deste mês. Para os produtos embarcados antes dessa data, serão feitas inspeções adicionais.

A decisão vale também para a gordura e miúdos bovinos produzidos pela Mataboi. As autoridades russas não informaram até quando a suspensão das compras estará em vigor.

Para outros frigoríficos – JBS, Frigo Estrela, Frigol e Frigon – a autoridade sanitária russa impôs novas restrições para a importação de carne, fixando controles sanitários mais rígidos. Também foi alvo de restrição a compra de carne de porco do frigorífico Aurora.Segundo o despacho publicado no site da agência russa, essas novas restrições estão em vigor desde o dia 30 de outubro.

Outro lado

Por meio de sua assessoria, o frigorífico Mataboi afirmou que ainda não tem detalhes da decisão do governo russo. A empresa ressaltou que vai verificar o que ocorreu para regularizar a situação.

A medida dos russos atingiu a planta do Mataboi em Santa Fé, Goiás. Outra unidade, a de Araguari, Minas Gerais, não sofreu restrições.

A empresa ressaltou que não houve alteração na produção e compra de bois, pois direcionará suas vendas, nesse período, para outros mercados. O Mataboi ainda destacou que esses procedimentos são comuns no mercado de carnes.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *