Colheita da safrinha chega a 50% em Tapurah – MT

Potencial produtivo foi comprometido pelo excesso de chuvas registrado em fevereiro. Preços recuaram e saca é cotada entre R$ 16,00 a R$ 17,00, mercado permanece travado devido ao tabelamento do frete. Armazéns estão cheios na região e produtores utilizam silos-bolsa. Atraso na entrega dos fertilizantes preocupa produtores.

Silvésio de Oliveira – Produtor Rural

Podcast

Entrevista com Silvésio de Oliveira – Produtor Rural sobre o Acompanhamento de Safra do Milho Safrinha

Podcast

 

O avanço da colheita do milho safrinha em Tapurah (MT) tem confirmado a quebra na produtividade das lavouras nesta temporada. Com 50% da área colhida até o momento, os produtores têm ressaltado uma diferença de até 20 sacas por hectare em comparação com o rendimento registrado no ano anterior. No estado, a colheita do cereal já está completa em 21,28% da área cultivada nesta safra.

Para o produtor rural da região, Silvésio de Oliveira, a redução no rendimento é decorrente do excesso de chuvas observado durante os meses de fevereiro e março na localidade. “Com isso, as plantas tiveram dificuldades em absorver o nitrogênio e a polinização também foi comprometida”, completa.

Fora dos campos, os produtores seguem preocupados com os impactos do impasse do tabelamento do frete. Os armazéns da região estão próximos de atingirem a capacidade máxima de estocagem. Isso porque, muitas empresas ainda não escoaram a soja da safra de verão, que já foi negociada.

“Os armazéns estão lotados e muitos produtores estão utilizando silos-bolsa para o milho safrinha. E os negócios estão parados na nossa região, inclusive, com esse impasse os preços do cereal já recuaram de R$ 20,00 a saca para algo em torno de R$ 16,00 a R$ 17,00 a saca”, destaca o produtor rural.

Outro impacto do frete é o atraso na entrega dos fertilizantes da safra de verão, cenário que pode afetar o rendimento das lavouras de soja. “Eu mesmo comprei o adubo e ainda não recebi. E muitas empresas não têm previsão de entrega desses produtos”, pondera Oliveira.

Demanda

Diante de tantas incertezas, os produtores ainda seguem focados na demanda pelo milho no estado. No último mês, a BR Foods que operava em Campo Verde (MT), informou que estaria encerrando suas atividades de produção de frangos, ovos e ração no município, mantendo apenas o recebimento, armazenamento e beneficiamento de grãos.

“Esse fechamento impacta diretamente no consumo interno e acaba sendo um baque para o estado.  Esperamos que a produção de etanol, a partir de milho, possa compensar parte dessa demanda”, diz o produtor rural.

Por: Fernanda Custódio

Deixe uma resposta