Exportadora brasileira de carne suspende embarques devido a vírus

A China, maior importadora de carne do mundo, disse nesta terça-feira que um exportador brasileiro de carne bovina e uma fábrica de suínos na Grã-Bretanha suspenderam voluntariamente as exportações por causa de infecções por coronavírus.

Muitos países exportadores de carne, como o Brasil e os Estados Unidos, assistiram a milhares de casos de COVID-19, a doença respiratória causada pelo vírus, entre trabalhadores de frigoríficos.

A Agra Agroindustrial De Alimentos SA do Brasil suspendeu voluntariamente as exportações de carne bovina para a China após uma infecção por vírus entre sua força de trabalho, informou a Administração Geral das Alfândegas em seu site.

Em uma declaração separada em sua conta de mídia social Weibo, o departamento acrescentou que a Tulip britânica suspendeu voluntariamente todas as exportações de carne suína de sua fábrica de Tipton, em West Midlands, devido a um surto de vírus.

A China intensificou as inspeções às importações de carne depois que um novo conjunto de infecções por vírus em Pequim foi vinculado ao imenso mercado atacadista de alimentos Xinfadi da capital.

Pequim começou a testar carne, frutos do mar e produtos frescos, com alguns dos principais portos chineses abrindo todos os recipientes de carne e frutos do mar para testes de vírus.

Na semana passada, a alfândega chinesa pediu aos exportadores de alimentos declarações assinadas de que seus produtos estavam livres de contaminação por vírus.

No domingo, a China disse que suspendeu as importações de aves de uma fábrica de carne dos Estados Unidos da Tyson, depois de interromper anteriormente os produtos suínos da processadora alemã Toennies.

As importações de carne da China nos primeiros cinco meses de 2020 subiram 73,4% no ano, para 3,85 milhões de toneladas.

O principal consumidor mundial de carne suína importou um volume mensal recorde de 400.000 toneladas em abril, quando a produção doméstica caiu depois que um surto de peste suína africana atingiu seu rebanho suíno no final de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *