Falta inteligência de mercado para a indústria de carnes brasileira

No primeiro dia da AveSui 2018, Gordon Butland e Fábio Nunes apontaram que o setor de carnes precisa se estruturar para prevenir problemas no mercado internacional.

O primeiro dia da AveSui 2018 começou com uma lição de casa para a indústria de carnes brasileira. Na avaliação do consultor internacional Gordon Butland e do especialista Fábio Nunes, que integraram o painel de processamento de carnes, dentro do Seminário Técnico Científico de Aves, Suínos e Peixes, falta inteligência de mercado para que o setor se antecipe a eventuais problemas no comércio exterior, como os que vêm ocorrendo ao longo de 2018. No entanto, mesmo diante destas adversidades, Butland deixa uma mensagem de alento: “O maior concorrente do Brasil é o Brasil”, ressaltando que o País deve se manter como um dos maiores líderes globais no fornecimento de proteína animal. Ainda durante a AveSui, mais de 100 empresas estão expondo produtos e serviços aos produtores da região Oeste do Paraná.

Os painéis com palestrantes renomados marcaram os momentos iniciais da AveSui 2018 – Feira da América Latina de Aves, Suínos e Peixes. Pontualmente, às 9h, começou o III Congresso de Zootecnia de Precisão. “A zootecnia de precisão está cada vez mais presente. Ele permite que as pessoas tomem decisões rapidamente, dependendo menos da ação humana. E muitas tecnologias já estão presentes no dia a dia”, destacou Fabiana Ribeiro Caldara, zootecnista e doutora em produção animal pela Unesp.

No mesmo horário, o evento trouxe o XVII Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos. A coordenadora, Elizabeth Santin, professora doutora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), aponta que o painel buscou esclarecer a importância da saúde intestinal para reduzir perdas. “Sempre associam saúde com doença, mas estamos falando de perda de funcionalidade que não está associado a isso. Precisamos esclarecer o conceito da microbiota e sua interação com o hospedeiro, o animal. Importante entender que todas as intervenções, o manejo, vão interferir na microbiota e no animal.”

O primeiro dia da AveSui 2018 contou ainda com o painel de processamento de carne, coordenado pelo consultor Fábio Nunes. Ao lado de Gordon Butland, o especialista apontou as dificuldades que o mercado brasileiro de carnes têm para lidar com situações do mercado internacional. “Não nos falta saber como produzir mais e melhor a carne. Precisamos saber como lidar com o comércio internacional. Precisamos nos antecipar aos eventos que irão nos afetar nos próximos anos”, ressaltou Nunes, citando os problemas enfrentados pelo setor ao longo de 2018.

Segundo dia

A exposição de mais de 100 empresas ligadas às cadeias de aves, suínos e peixes, além de painéis técnico-científicos sobre salmonela, conversão alimentar e piscicultura seguem nesta quinta-feira (2), na Lar Centro de Eventos, em Medianeira, no Paraná.

A programação se estende ainda até a sexta-feira (3), com o painel de atualização e treinamento em bem-estar na produção de ovos, visita à granja modelo e a fábrica de peixes, arena gourmet, auditório de inovações e happy hour com as empresas expositoras. Saiba mais em www.avesui.com.

Fonte: Suinocultura Industrial

Deixe uma resposta