Menongue aposta na criação de peixe cacusso e de bagre

As obras do centro de larvicultura e engorda do Missombo, 18 quilómetros da cidade de Menongue, na província do Cuando Cubango, decorrem a bom ritmo e têm a sua conclusão prevista para o mês de Agosto de 2019.

Com a conclusão do centro de larvicultura e engorda, Cuando Cubango vai ser um dos maiores centros de produção de peixe do país
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

Orçadas em mais de 14 milhões de dólares, as obras, a cargo da empresa de construção civil israelita “Agricor”, começaram no mês de Maio do corrente ano e estão neste momento a cerca de 30 por cento de execução física.
A empresa já construiu as bases para a instalação da fábrica de ração, para alimentação dos peixes, e fez a terraplanagem do local onde vão ser erguidos 50 tanques, para a produção de tilápia (cacusso) e bagre.
Actualmente, estão em curso as obras de construção do centro de logística e valas de drenagem para as águas pluviais. Os trabalhos para a construção do centro de larvicultura do Missombo estão a ser assegurados por 80 cidadãos nacionais, dos quais 65 da província do Cuando Cubango, bem como quatro expatriados.
O director do Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas, António Vicente, recordou que o referido projecto está a ser construído numa área de oito hectares e vai ter uma produção anual de cerca de quinhentas toneladas de tilápia e de bagre, bem como vai permitir ao país produzir, pela primeira vez, peixe carpa, produzido em vários países do mundo.
Salientou que o projecto prevê a construção de um complexo de viveiros de piscicultura, para a reprodução de peixes, e de ração para o peixe. O referido centro, acrescentou, vai contar também com uma fábrica de processamento de peixe e outra de produção de ração, armazéns de equipamentos, refeitório, cozinha, sistemas de pesagem, escritórios e laboratórios.
O centro vai ter também residências para 30 técnicos, posto de venda, área de tratamento de água, 38 tanques metálicos de piscicultura, com 20 metros de diâmetro cada, e 18 tanques de piscicultura em terra, com 300 metros quadrados cada.


Explicou que o projecto tem como objectivo principal o fornecimento de peixe fresco para as populações da província, encorajar iniciativas privadas de agricultores na aquisição de alevinos (filhotes de peixe), aquisição de ração para os peixes, formação teórica e prática em aquacultura, criação e desenvolvimento de indústrias e de postos de trabalho e o desenvolvimento da economia da região.
“O projecto é de grande importância, porque vai permitir aumentar a produção de forma sustentável, contribuir para o combate à fome e à pobreza, o alargamento da base tributária, a diversificação da economia nacional, bem como o surgimento de iniciativas privadas de engorda da tilápia, a diminuição das importações e o aumento das exportações”, disse António Vicente.
Os resultados esperados do projecto são a produção de ração, de 3,5 milhões de alevinos por ano, de quinhentas toneladas de peixe por ano, processamento de pescado, tratamento de resíduos e criação de mais postos de trabalho.
Prevê-se também o aumento da produção de peixe no país, maior oferta do pescado, proveniente da aquicultura, e de alevinos e de ração para o funcionamento das unidades de engorda, aumento da proteína animal para a população e contribuir para o desenvolvimento das zonas rurais da província do Cuando Cubango.
“Actualmente, existem no município de Menongue 30 tanques para a produção em grande escala de cacusso (tilápia) e bagre, controlados por 19 aquicultores, no âmbito do projecto de aquicultura na região”, disse o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas.
António Vicente disse ainda que no Cuando Cuban-go ainda não se faz sentir a comercialização de peixes produzidos na região, tendo em conta que a produção começou no ano passado e até ao momento não atingiu o tamanho ideal, por falta de ração.
“O nosso grande problema é a falta de ração, mas temos fé que este grande problema vai ser superado, com a conclusão do centro de larvicultura e engorda do Missombo, que vai permitir a produção de ração, que certamente vai abastecer os nove municípios da região e de outras províncias do país”, disse.
Segundo António Vicente,  com a conclusão do centro de larvicultura e engorda do Missombo, a província do Cuando Cubango vai ser um dos maiores centros de produção de peixe do país.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta