Mercado de Alimento Balanceado da América Central e o Brasil

Nas duas últimas semanas estive em viagem pela América Central, visitei três países que estão em franco crescimento Costa Rica, Nicarágua e Guatemala.
Apesar de cada uma delas ter seus problemas internos, o desenvolvimento do mercado de ração animal tem ganhado cada dia mais espaço.
Uma das maiores do setor alimentício a Cargill tem incorporado outras empresas do setor para realizar a produção de ração principalmente para o mercado de aves, bovinos, peixes, suínos além do mercado pet. Desde de 2011 quando emitiu um comunicado geral anunciando a fusão da Cargill com o grupo Pipasa. Segue o resumo do comunicado no link: (http://www.elnuevodiario.com.ni/economia/103791)
Os concorrentes diretos da Cargill na Costa Rica são os grupos GRACO SA e DOS PINOS duas cooperativas de produtores de ração a DOS PINOS no formato original que conhecemos no Brasil, produtores que se filiam a uma cooperativa para ter a ração a um preço mais em conta e ter para quem fornecer o seus produtos. Já a GRACO SA é um caso mais interessante essa empresa foi fundada por 6 sócios todos eles produtores de ração e sendo um desses sócios fornecedor de ração e matéria prima para outros 70 produtores. Essa cooperativa existe para realizar a compra de milho e farinha de soja dos EUA a um preço mais baixo. Dessa forma eles conseguem um preço baixo por possuir um grande volume de produção cerca de 4000ton/mês.
Outro fato interessante é o de uma empresa APM, é uma empresa familiar mas com uma boa organização e senso comercial. Atualmente eles atuam no mercado PET trazem do Brasil 2 contêineres de ração da Brazilian PET FOOD para revender na Costa Rica e já estão produzindo a própria ração deles de forma que pouco a pouco eles começam a entender melhor o mercado e a forma de produção.
Hoje o Brasil é um país com muitas fábricas de ração animal, porém todos os dias novas empresas vem nascendo e com um mercado muito aberto, em todas as regiões do Brasil. Existem vários mercados para ração, só para ração pet é possível citar no mínimo cinco (combate, stander, premium, super premium, idades avançadas, controle de peso, filhotes, raças, aves de canto e peixes ornamentais) não é possível e nem viável, que uma empresa consiga fazer todos os tipos de ração. Sem contar as rações peletizadas e fareladas para cavalos, bovinos (leite e corte), aves, coelhos e suínos.
Cada empresa tem que se focar naquela ramo na qual a sua região é mais carente, seja ela qual for, acredito sempre que para uma empresa obter sucesso tem que se espelhar em grandes empresas, e pensar que um dia a sua empresa irá fazer exportação de seus produtos e que estará em grandes mídias.
Conheço empresários do ramo que são verdadeiros Mineirinhos, comem quietos e pelas bordas, poucas pessoas os conhecem e comandam verdadeiros impérios do ramo de ração pet. E tem também empresas que não possuem muito volume mas concentram seus esforços onde obtêm mais lucros.
Nesse jogo temos que usar todas as nossos conhecimentos e montar a melhor estratégia para obter melhores lucros mesmo que isso signifique uma parceria na compra de matérias primas com os nossos concorrentes.

Deixe uma resposta