Mercado de milho teve ano de cotações recordes no Brasil

O mercado brasileiro de milho teve um ano de 2016 de cotações recordes.

O ano de 2016 foi um período de dificuldades para o abastecimento dos compradores, com baixos estoques. Com a oferta limitada no mercado interno, o país teve o maior volume de importações em 20 anos.

Segundo Gláuber Silveira (Vice-Presidente da Abramilho) em entrevista ao Notícias agrícolas, diz que, o milho é o produto mais produzido no mundo, sendo 30% de toda a produção. O milho representa 2/3 da produção de ração animal, sendo possível considerar presente em 75% da carne, por estar presente na ração.


Ainda segundo Silveira, o déficit mundial é de 130 milhões, com isso a criação do programa “Mais milho” tem como objetivo trazer mais produtividade, segurança, tecnologia, comercialização e renda para o produtor.

Os preços continuam firmes no mercado, segundo levantamento da Scot Consultoria, na região de Campinas-SP, a saca de 60 quilos de milho está cotada em R$38,50 (21/12), para a entrega imediata, sem o frete, frente a negócios em até R$36,00 por saca no início do mês.


Até que a colheita da safra de verão ganhe força, a expectativa é de mercado mais firme, já que os estoques internos estão em níveis baixos comparativamente com anos anteriores.

A expectativa é de mercado firme para o milho neste final de ano e começo de 2017, porém, a baixa movimentação interna e para exportação continuam como fatores limitantes para os aumentos de preços. Além do câmbio, as atenções estarão voltadas ao clima e ao desenrolar da colheita da primeira safra 2016/2017, bem como a demanda interna.

Fonte: Capital News

Deixe uma resposta