Mineiros discutem implantação de frigorífico de peixes em Cascavel

Grupo escolheu cidade devido a abundância de água, mão de obra especializada e incentivo do Governo…

Cascavel tem um grande e comprovado potencial produtivo no setor da piscicultura, com uma lâmina d’água de 600 hectares, segundo levantamentos da Emater e IBGE. Com base nestes números, o Município tem em análise projetos de construção de tanques de até 50 hectares de lâmina d’água, com potencial de chegar, até 2020, com 150 hectares. De acordo com a Seagri (Secretaria Municipal de Agricultura), hoje, um hectare de lâmina d’água trabalhado com tecnologia de ponta, gera uma produção de R$ 45 mil ao produtor.

A partir deste potencial gerador de renda para os pequenos produtores rurais, o governo do prefeito Leonaldo Paranhos lançou, ainda em 2017, um programa de incentivo à piscicultura. Uma opção de diversificação de atividades nas pequenas propriedades. “O agricultor que já produz, milho, mandioca e frango, por exemplo , pode diversificar e a Prefeitura ajuda em uma parceria na construção dos açudes. Com isso, essas famílias vão ter a renda melhorada e todos ganham com isso”, disse o prefeito Leonaldo Paranhos.

Ainda de acordo com ele, Cascavel vem trabalhando em uma cadeia produtiva “porque não é só produzir o peixe: ele precisa ser produzido, levado para as cooperativas e  abatido. A piscicultura é um projeto que nos deu um prêmio nacional, quando ficamos entre os  15 melhores projetos de incentivo à piscicultura em 2018, com premiação pelo  Governo Federal e queremos dar sequência a isso”.

A colocação foi feita na manhã desta quarta feira (6), em uma reunião de trabalho no estande da Prefeitura de Cascavel, no Show Rural Coopavel, entre o secretário de Agricultura, Ney Haveroth, o presidente da Fundetec, Alcione Gomes, o presidente da Associação dos Piscicultores de Cascavel, Valcir Zanini,  e Ivanor Melek, gerente da Sociedade Rural Patronal, que anunciou a instalação de um estande exclusivo para a piscicultura no Show Pecuário deste ano, que será realizado de 23 a 26 de julho, no Parque de Exposições de Cascavel,  e produtores e empresários mineiros interessados em investir um frigorífico de peixes para Cascavel.

Tiago Aparecido Souza Silva e Ivandra Inácio de Souza vieram de Uberlândia (MG) e já possuem um frigorífico na região mineira. A intenção é expandir os investimentos e a família escolheu Cascavel para fazer o investimento, devido a abundância de água, mão de obra especializada e incentivo do Governo Municipal para instalar a unidade de abate. “Queremos iniciar os trabalhos aqui em Cascavel, abatendo  de três a cinco mil quilos de peixes por dia, e gerando  cerca de 40 empregos diretos e mais centenas de outros indiretos na cadeia produtiva do peixe nas propriedades rurais integradas ao projeto”, explicou o empresário.

A Seagri apresentou aos empresários, um estudo de viabilidade de construção do frigorífico baseado na área que eles precisam para abater até 15 mil quilos de peixe dia, que seria de 10 mil metros quadrados. O terreno com 50 alqueires, de propriedade do Município e disponível para receber o empreendimento, foi apresentado aos empresários mineiros pela Fundetec.

O imóvel e está localizado no Citivel 2, às margens da rodovia de acesso ao Distrito de São João do Oeste. “Hoje são 149 produtores cadastrados. A grande maioria é de pequenos produtores, e são estes que precisamos fortalecer”, explicou Alcione Gomes, presidente da Fundetec.

Ney Haveroth destacou que este investimento é importante para demandar toda produção existente do município. “Os piscicultores têm dificuldade com a colocação da produção no mercado devido a falta de um frigorifico para absorver esta demanda. Precisamos dar esta segurança para produtor, dar a garantia de que a produção vai ter destino certo com a comercialização. Esta integração de esforços, vai abrir portas para investimentos, incentivar a cadeia produtiva do peixe e gerar empregos para Cascavel”, completou.

Fonte: CGN

Deixe uma resposta