MS deve fechar o ano com produção de 791 mil toneladas de carne bovina

Volume mostra estagnação na comparação a quantidade processada no ano passado.
Produção pecuária em propriedade de MS (Foto: Arquivo)Produção pecuária em propriedade de MS (Foto: Arquivo)

Mato Grosso do Sul deve fechar o ano com produção bovina praticamente estagnada. A projeção do Sistema Famasul, divulgada nesta segunda-feira (11), é de 791 mil toneladas de carne bovina, variação de 0,8% sobre as 784 mil toneladas contabilizadas no ano passado. Já a de carne de aves deve ter um incremento de 3,9%, passando de 401,7 mil toneladas para 417,6 mil toneladas e a de suínos de 7%, subindo de 135 mil toneladas para 144 mil toneladas.

“A bovinocultura de corte sofreu com acontecimentos fortuitos à demanda e oferta, o que agravou as condições do ambiente político-econômico e pressionou ainda mais os preços”, comentou o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito.

Esse quadro foi atenuado com qas vendas externas. “O bom desempenho das exportações teve um papel importante para inibir uma queda ainda mais acentuada nas cotações, já que o consumo interno não foi expressivo”, acrescentou.

Em se tratando de avicultura, Saito observa que a situação é mais confortável, devido ao bom desempenho do consumo desta proteína no mercado interno e do volume de exportações. “Já a suinocultura registrou aumento de produção e de preços, demonstrando recuperação de perdas ocorridas em 2015 e 2016, anos de preços depreciados para o setor”, comenta.

Leite – A produção de leite deverá fechar o ano em queda. A retração estimada é de 12,6%, como o volume caindo de 270 milhões de litros para 236 milhões de litros. “O maior impacto das condições ruins vivenciadas pela economia brasileira foi observado na atividade leiteira com queda expressiva no volume produzido e retração nos preços ao produtor”, ressaltou a analista técnica de economia do Sistema Famasul, Eliamar Oliveira.

Produção pecuária em MS – 2016 e 2017

Fonte: Sistema FamasulFonte: Sistema Famasul

Deixe uma resposta