Os 8 S’s da Gestão da Qualidade

      Nenhum comentário em Os 8 S’s da Gestão da Qualidade

O processo de implementação da qualidade é um processo árduo que toda empresa tem que passar para que possa dar um passo adiante em suas conquistas em projetos.

Infelizmente, aqui no Brasil, grande parte das empresas trabalham somente os 5 primeiros S’s que são pré-requisitos para implementar outros sistemas de qualidade como BPF e APPCC , estes na verdade englobam o que chamamos de GQT – Gestão da Qualidade total.

O Programa 5 S’s tem sua origem no Japão, em Maio de 1950, o professor Kaoro Ishikawa apresentou um método para combater o desperdício, ajudar um país destroçado pela guerra e sem recursos naturais a se reerguer. O Japão vivia uma crise, além disso, nas indústrias Japonesas havia muita desorganização e sujeira, sendo necessário uma reestruturação.

A base do programa 5S’s tem como prática milenar princípios educacionais que os pais ensinam a seus filhos e que os acompanham até a fase adulta. São eles:
• Higiene;
• Segurança;
• Bem estar;
• Sensatez;
• Respeito ao próximo.

Mais de 60 anos se passaram desde a criação do 5s, esse tempo foi o suficiente para que a visão estratégica dentro das empresas fosse repensada. Da mesma maneira, a rotina foi reformulada com a integração digital dos processos. Sendo assim, foram acrescentados 3S’s à metodologia. Isso significa que o planejamento anual da empresa, com suas estratégias e resultados, deveria ser redesenhado. O interessante desse complemento à metodologia japonesa é o alinhamento com uma visão de negócios ocidental, adequando o método à infraestrutura, ao dimensionamento de estratégias e às ações para o desenvolvimento das empresas nacionais..

É importante ressaltar que a grande vantagem do programa 8S é que ele não contempla o investimento em máquinas e sistemas automáticos, tratando-se de uma metodologia de gestão de recursos humanos e materiais, baseado totalmente na capacidade intelectual e criativa dos funcionários. O investimento e feito nas pessoas, através do desenvolvimento de treinamento e qualificação profissional. A metodologia promove a mudança de comportamento de dirigentes e funcionários que passam a formar um grupo unido com visão de sobrevivência e continuidade dos negócios, principalmente através da economia e combate aos desperdícios.

A implantação do 8S é simples e os resultados são obtidos rapidamente. O impressionante é a rapidez com que as mudanças acontecem, além de ser altamente estimulante. O mais difícil é a manutenção e melhoria em longo prazo, é um desafio, mas é isso que impulsiona o ser humano.

 

Os oito Sensos são a seguir descritos seguindo sua ordem de implantação:

Shikari Yaro – Senso de determinação e União: determina a participação da alta administração com a união de todos os funcionários. O exemplo vem de cima.

Shido – Senso de treinamento: preconiza o treinamento do profissional e a educação do ser humano. Estas ações qualificam o profissional e engrandecem o ser humano que passa a ter melhor empregabilidade, essencial nos tempos modernos, quando o desemprego está aumentando e os novos postos de trabalho exigem profissionais qualificados e com posturas adequadas.

Seiri – Senso de Utilização: Tem o senso direcionado para os materiais, deve-se separar os objetos, documentos, dados e serviços em necessários ou não. Os necessários são separados para uso, os desnecessários são disponibilizados ou descartados, sem agressão ao meio ambiente.

Seiton – Senso de Ordenação: Os itens necessários são ordenadamente guardados de forma a serem usado de forma rápida e segura.

Seiso – Senso de Limpeza: Em ambientes limpos, bonitos, agradáveis e seguros existe maior motivação e as pessoas usam melhor a capacidade criativa.

Seiketsu – Senso de Bem-Estar: Este é resultado dos cinco Sensos anteriores. Em um ambiente de participação coletiva, união, com treinamento e educação, organizado, ordenado, limpo e seguro, o Bem-Estar aflora naturalmente.

Shitsuke – Senso de Autodisciplina: É o respeito a tudo e a todos. Não um respeito cego, apenas por respeitar, mas a compreensão de que todos fazem parte do elo da corrente (a empresa) e se um elo se rompe a corrente se enfraquece, causando desperdícios e prejuízos.

Setsuyaku – Senso de Economia: É o combate aos desperdícios.

A princípio implementar sistema de qualidade pode parecer meio assustador, porém, ele é uma ferramenta que deve ser utilizada dia após dia, para que todos ganhem experiência de uso e aos poucos possam ter confiança para implementar as melhorias.

Sabido tudo isso o foco agora é encaixar todos esses 8S’s dentro de uma fábrica de ração.

Esse ano será trabalhado em paralelo com os textos da Revista Pet Food Brasil todos os 8S’s da Qualidade.

Falaremos sobre a IN 04 – Boas Práticas de Fábrica, mais conhecido como BPF. Ressaltaremos   os pré-requisitos para que as BPF sejam implantadas com sucesso.

Se você ainda não leu o primeiro texto da série, segue o link abaixo:

Boas Práticas de Fabricação – Fábrica de Ração

 

Rafael Resende Silva
Engenheiro de Alimentos
Skype: eng.rafaelrs

 

 

Deixe uma resposta