Os benefícios do betacaroteno na reprodução dos equinos

Com cerca de 5,8 milhões de cavalo em todo território, o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking mundial de cabeças, perdendo apenas para a China, com 6, 8 milhões e para o México, com 6,3 milhões, conforme informações da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). De acordo ainda com a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), o setor movimenta cerca de R$ 16 bilhões por ano e gera aproximadamente três milhões de empregos.

Atualmente, são diversas as funções para quais os cavalos são direcionados como, transportes, agropecuária (manejo do gado), lazer (cavalgada), saúde (equoterapia), equoesportes (hipismo, polo, etc), inclusive como animal de estimação. Diante deste cenário, criadores de cavalo devem ficar alertas para mantar a saúde equilibrada do rebanho, pois independente da atividade para qual é direcionado, é necessário realizar uma boa criação, manejo adequado e uma alimentação equilibrada para obter a melhor performance destes animais. Ou seja, não adianta ter um rebanho repleto de equinos de excelentes linhagens e aptidão, com o melhor treinamento e cavaleiros, se estes animais não tiverem o combustível certo para desempenhar o seu potencial em pista.

É essencial que o criador tenha atenção redobrada, principalmente, na alimentação dos garanhões – cavalos não castrados utilizados para reprodução. Por ter a capacidade de transmitir todo seu potencial genético e as características de conformação aos seus descendentes, as exigências de alguns nutrientes na dieta dos garanhões aumentam, como por exemplo:  a vitamina A – de classificação lipossolúvel e com importante participação na reprodução e na saúde do tecido epitelial, no crescimento, no tônus muscular e na visão. Para suprir esta necessidade, a inclusão de alimentos que contenham betacaroteno – um precursor da Vitamina A – é altamente indicada, pois influencia diretamente na fertilidade do garanhão, aprimorando a qualidade do sêmen.

O betacaroteno faz parte da família carotenoide – pigmento natural encontrado em plantas e responsável pelas cores vibrantes de algumas frutas e legumes – classificada em quatro classes: betacaroteno, alfcaroteno, gamacaroteno e betacriptoxantina.  A conversão do betacaroteno em vitamina A depende da presença de bile no intestino delgado e de gordura na dieta para ocorrer absorção, sendo armazenada no fígado. Por conter a função antioxidante e ação imune estimulante, o betacaroteno combate os radicais livres.

Além disto, possui importante atuação na reprodução dos animais, pois melhora a fertilidade e a produção de óvulos das éguas e a espermatogênese nos garanhões. Além de reduzir os índices de mortes embrionárias nas éguas em reprodução, proporciona maior qualidade e quantidade de sêmen produzidos.

Para proporcionar ainda mais vitalidade aos equinos e atender às demandas dos criadores – a Guabi – com 43 anos de experiência e know-how em nutrição e saúde animal – desenvolveu a Guabitech Beet – única ração no Brasil com alta concentração de polpa de beterraba (16%). Por conter alto teor de betacaroteno, é fonte ideal para garantir energia extra aos equinos, atendendo as principais necessidades dos veterinários. Indicada para cavalos de alta performance; idosos ou em reprodução, este é o primeiro lançamento da Guabitech – linha super premium – criada para distinguir os produtos de indicação profissional da Guabi. Com o objetivo de estimular todo o potencial genético dos equinos, a Guabitech passa a receber o selo GEN – Genômica Nutricional Guabi – que identifica a aplicação de aditivos nutricionais diferenciados e consolida a aliança com a Alltech, uma das mais conceituadas empresas do setor.

A Guabitech Beet também melhora a eficiência da flora intestinal e gera menor acúmulo de ácido lático pós exercícios. Sua formulação também conta com óleo vegetal; milho laminado; vitamina C, responsável por proteger os lipídeos, as proteínas e as membranas de danos causados por radicais livres; Omega 3 DHA, com potente ação anti-inflamatória, agindo na reparação das paredes celulares e Omega 6, que aumenta a resposta inflamatória ajudando a controlar a lesão celular; Vitamina E e Selênio.

Desenvolvido em pelete, proporciona melhor digestão da fibra com alta concentração de pectina – fibra rica em carboidrato de rápida fermentação – que garante um melhor ambiente pré-cecal, estabiliza o pH e permite melhor aproveitamento dos nutrientes em modo geral. “O recomendável é fornecer de 1 a 1,5 kg por 100kg de peso vivo/dia para todas as categorias indicadas”, completa Sigismundo Fassbender, zootecnista e gerente para Equinos da Guabi.

O volumoso deve ser fornecido à vontade, seja na forma de feno (coast crosstiftonjiggs ou alfafa – rica em caroteno) e/ou capim verde (no pasto ou fornecido cortado na cocheira), de boa qualidade e digestibilidade, com maior quantidade de folhas e pouco talo à vontade.

Sobre a Guabi Nutrição e Saúde Animal

A Guabi Nutrição e Saúde Animal é uma empresa que há mais de 43 anos se dedica ao desenvolvimento e fabricação de produtos de alta qualidade, voltados para o bem-estar de todo o ciclo: animais, produtores, criadores e consumidor final. Investe na qualidade dos insumos e tecnologias de ponta que garantam o melhor resultado, e é hoje uma das maiores empresas de nutrição e saúde animal do país. Tem forte atuação em todos os estados brasileiros e exportações frequentes para mais de 30 países. Sua linha de produtos abrange rações completas, suplementos minerais, dietas, núcleos e premixes, para atender as diferentes necessidades nutricionais e fases de crescimento de: peixes e camarões, equinos, bovinos de corte e de leite, aves de corte e de postura, coelhos, caprinos, ovinos, entre outras espécies de animais de produção. Atualmente, a Guabi possui cinco unidades fabris distribuídas pelo Brasil, além de dois Centros de Distribuição localizados na região Nordeste e de seu Escritório Nacional, em Campinas/SP.

Fonte: O Nortão

Deixe uma resposta