Peletizadora de Matriz Plana x Peletizadora de Matriz Anular

Eng. Rafael Resende Silva

Olá pessoal essa semana vamos falar sobre a diferença entre as peletizadoras de matriz plana e matriz anular.

O ponto aqui não é mostrar qual peletizadora é melhor ou pior, o intuito desse vídeo e texto é mostrar que cada peletizadora foi projetada para atender um tipo de matéria prima bem específica.

As peletizadora de matriz anular são as máquinas mais comuns que temos no Brasil e elas foram projetadas para poder produzir ração animal, essas peletizadora são normalmente compostas por rosca dosadora, pré-condicionador com injeção de vapor e matriz para compactação.

E as peletizadoras de matriz plana são compostas pela a alimentação direta na matriz para a compactação dos componentes.

Conforme comentado no vídeo uma das principais diferenças entre as máquinas são a movimentação das matrizes, nas anulares é ela que se movimenta e a pressão exercida pelos rolos faz com que a ração seja pressionada contra a furação e com assim é realizada a peletização da ração.

Por outro lado, nas peletizadoras de matriz plana, a matriz fica fixa e a movimentação é realizada pelos rolos compactando a matéria prima.

Aproveitando a publicação do Marcelo Joaquim que trabalha na Roxel, fez um comparativo interessante entre as duas peletizadoras e vou compartilhar com vocês abaixo:

Em cima dessa imagem conseguimos entender o porque as maquinas de matriz anelar são mais indicadas para a produção, o primeira  ponto é o comprimento do Canal para compactação, dependendo da formulação, e do tipo de animal que vai ser alimentado é preciso variar o comprimento do canal para poder aumentar a dureza do pelete e assim garantir que ele vai chegar integro no campo.

O segundo ponto a ser analisado é a granulometria a anelar ela necessita de uma granulometria menor do que a plana, contudo para que a digestibilidade seja melhora nas rações peletizadas temos que trabalhar com menores granulometrias para que o vapor possa agir sobre a maior área possível.

E um ponto que não concordo com essa comparação acima é a respeito da potência instalada, pois para ração ela até poderá ter um motor menor contudo ela não terá uma boa digestibilidade.

E quando se trabalha com biomassa é necessário se trabalhar com potências maiores pois biomassa quando processada em maquinas de matriz anulares, por mais que se modifique as configurações de matriz para ter mais vazão, ainda sim há um perca de produtividade.

Então vale a reflexão sobre a potencia dos motores.

Bom pessoal, seria essas as diferenças, espero poder ter ajudado um pouco mais no estudo das maquinas peletizadoras.

Caso tenham alguma dúvida estou a disposição.

Um Forte Abraço e até a Próxima!

Eng. Rafael Resende Silva

Peletizando a Ração

 A Torre de Peletização e seus equipamentos  

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *