Pesquisador da Embrapa avalia interação da glicerina e a peletização

Pesquisador da Embrapa avalia interação da glicerina e a peletização
Estudos apontam que a glicerina é um alimento que pode ser utilizado como fonte energética em substituição ao milho em rações para frangos de corte. Como uma vantagem sobressalente aos demais, o ingrediente apresenta efeito umectante que pode melhorar o processo de peletização, a qualidade física e nutricional do pelete através da redução na quantidade de finos produzidos. Assim, Fernando Castro Tavernari, pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, conduziu projeto com o propósito de avaliar a interação entre o uso de glicerina bruta e a peletização na fabrica de ração no metabolismo e no desempenho de frangos de corte. 


Para isso, foram desenvolvidos vários experimentos na fábrica de rações da Embrapa, localizada em Concórdia, SC, visando redução no consumo de energia elétrica pela peletizadora e melhora na qualidade do pelete. “Também realizamos ensaios de metabolismo com frangos de corte para determinar a energia metabolizável das rações e da glicerina bruta e a digestibilidade dos aminoácidos das rações, bem como os efeitos no desempenho animal”, afirma o pesquisador em entrevista para o AviSite. Os resultados mostraram que além de melhorar a qualidade do pelete, a inclusão da glicerina ajuda na redução da energia elétrica utilizada no processo. 

A equipe que realizou o projeto foi composta pelos pesquisadores Gustavo de Lima e Dirceu L. Zanotto, os professores José Menten da ESALQ em Piracicaba, SP e Luiz Albino da Universidade Federal de Viçosa e alunos de graduação e pós-graduação que fazem estágio na Embrapa Suínos e Aves. Fernando, o autor principal, sente-se satisfeito com os resultados parciais coletados até o momento, no entanto, para ele, o tema requer mais pesquisas. “A peletização é realizada em grande parte das rações produzidas para frangos de corte, mas carece de pesquisas para melhor entendermos seus efeitos, bem como o uso de glicerina, um co-produto gerado a partir da produção do biocombustível que pode ser utilizado em substituição parcial do milho e que também auxilia no processo de peletização”. O autor também acredita que essa linha de pesquisa é de extrema relevância para a avicultura. “ A associação destes dois fatores (peletização e glicerina bruta) pode ser uma realidade no futuro com o aumento da produção de biocombustível no país”, finaliza. 


Resultados mostraram que além de melhorar a qualidade do pelete, a inclusão da glicerina bruta (como na foto) ajuda na redução da energia elétrica utilizada no processo


Fonte: http://www.avisite.com.br/noticias/index.php?codnoticia=14694


Deixe uma resposta