Prateleira sustentável

      Nenhum comentário em Prateleira sustentável
Crédito: Istock

Vera Ondei

A adição de óleos essenciais a um tipo de resina comestível reduziu o ataque de fungos em morangos, preservando a qualidade da fruta. Além de representar uma estratégia inovadora para o controle da qualidade dos morangos, a tecnologia pode aumentar o tempo de prateleira de cerca de uma semana para 18 dias. A pesquisa foi feita pelo Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia da Escola Superior de Agricultura Luiz Queiroz, em Piracicaba (SP). Além do morango, o estudo sugere o controle de doenças pós-colheita em outras frutas e hortaliças.

Pecuária
Empresa fará venda de bois da raça araguaia

O pecuarista Raul Almeida Moraes, proprietário da Fazenda Santa Rita, em Torixoréu (MT), e criador da raça de boi araguaia, lançou, no final de 2018, junto a outros três sócios, a Origem Premium. A empresa cuidará da comercialização e construção da imagem da carne. Conhecida pela alta qualidade e boa produtividade, os animais da raça araguaia têm sua genética constituída por 47% de blond d’aquitaine, 28% de caracu e 25% de nelore.

A efeito de comparação, um boi de raça tradicional é abatido aos 36 meses de vida, com 18 arrobas, enquanto os animais da raça araguaia são abatidos com 16 meses.

Campanha
Cosan entra na corrida

Controladora de algumas das maiores empresas de seus respectivos segmentos – como Comgás, Moove, Raízen e Rumo – a Cosan acaba de lançar sua primeira campanha institucional. A companhia, que tem 40 mil funcionários e é líder nacional na produção de etanol e açúcar, irá patrocinar 110 provas de corridas de rua em todo o País, entre elas as tradicionais maratonas de São Paulo, do Rio de Janeiro, a Volta da Pampulha, em Belo Horizonte, e a São Silvestre, na capital paulista. Com o slogan “Eu sonho e corro atrás”, a campanha tem como objetivo dar visibilidade à marca. Só de corredores, as provas patrocinadas pela Cosan devem ter mais de 400 mil inscritos. A campanha publicitária foi criada pela N Ideias, de Nizan Guanaes.

Bem-estar animal
Padrão para a água usada na pecuária

Istock

Pesquisadores da Embrapa Pecuária Sudeste e da Unicamp propõem a definição de padrões de qualidade para a água usada na pecuária brasileira. Júlio Palhares, da Embrapa, e Simone Campos, da Unicamp, argumentam que aspectos produtivos, ambientais e elementos químicos presentes devem ser levados em consideração na avaliação do líquido. A maior preocupação dos pesquisadores é a contaminação da água por substâncias como pesticidas, hormônios, fármacos, antibióticos e fertilizantes.

Educação
Fecap lança MBA em Agronegócio

Istock

A Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) lançou um novo MBA em Agronegócio, o Master of Food and Agribusiness Management. Apoiado pela Associação Brasileira do Agronegócio, o programa terá 30 horas presenciais na Audencia Business School, na França, e 120 horas presenciais no Brasil. Para ingresso no curso, os candidatos precisam falar
inglês fluentemente e já possuir alguma graduação.

Boas novas para o trigo

A moagem de trigo chegou a 12 milhões de toneladas em 2018, crescimento de 3,4% sobre o ano anterior. O presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias do Trigo (Abitrigo), Rubens Barbosa, espera um bom desempenho do setor para 2019 e diz que a decisão do governo Bolsonaro de importar 750 mil toneladas do grão sem tarifa fora do Mercosul não deve afetar a relação do Brasil com os países vizinhos. A medida deve beneficiar majoritariamente os Estados Unidos.

Julio Bittencourt/Revista da Indústria

Qual a avaliação sobre a cota de importação de 750 mil toneladas para o trigo fora do Mercosul?
A posição da associação é de que esse assunto foi levantado pelo Ministério da Agricultura com o governo americano. Era um assunto antigo na Rodada Uruguai da Organização Mundial do Comércio. Então, não é comércio bilateral, nem foi feito fora do Mercosul, porque na época o Mercosul não existia.

A medida causa algum problema para a indústria?
Nós falamos com o Ministério da Agricultura que não temos nenhum inconveniente. Nosso único pedido é que a importação fosse feita na entressafra para não prejudicar os produtores brasileiros.

Mas a decisão pode prejudicar a relação do Brasil com países vizinhos?
Na região, apenas a Argentina e o Paraguai fornecem. O Paraguai é pequeno, a Argentina, não. As 750 mil toneladas representam cerca de 10% da importação brasileira. Eu acho que a Argentina é competitiva e a quantidade sem tarifa é muito pequena.

Qual a perspectiva do setor em 2019?
Nós estamos prevendo um aumento da moagem, que no ano passado já cresceu 3,4%. Evitamos fazer uma previsão, porque isso vai depender do comportamento da economia nacional.

Empreendimento
Cooperalfa: nova unidade de grão

Ibiapaba Netto

A Cooperativa Agroindustrial Alfa (Cooperalfa), com sede em Chapecó (SC) e unidades no Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, obteve aprovação de crédito via BNDES, no valor de R$ 27,4 milhões. A verba será aplicada na construção de uma unidade de recebimento e armazenagem de grãos, em Guaraciaba (SC).

Os recursos serão utilizados em obras e instalação de equipamentos. Formada majoritariamente por pequenos e médios agricultores, a Cooperalfa tem 20 mil associados e faturou R$ 3,3 bilhões no ano passado, 17% a mais do que em 2017. Em 2018, o lucro dividido entre os cooperados foi de R$ 70 milhões.

Grãos
Terminal de Grãos no MA dobrará sua capacidade

Divulgação

O Consórcio TEGRAM-Itaqui anunciou a segunda fase do Terminal de Grãos do Maranhão (TEGRAM), no Porto do Itaqui, em São Luís, com novas obras para o começo deste ano. Com o novo empreendimento, previsto para o primeiro semestre de 2020, o terminal passará a movimentar 12 milhões de toneladas de grãos por temporada, entre soja em grão, farelo de soja e milho. O volume previsto para o próximo ano é mais do que o dobro das movimentações registradas no Tegram em 2018, quando 5,4 milhões de toneladas passaram pelo terminal.

Aves & Suínos
Vaccinar compra nova unidade de produção

Divulgação

A Vaccinar, empresa que está entre as líderes no setor de nutrição e saúde animal, anunciou, no mês passado, a compra de sua quinta fábrica no País. A nova unidade está localizada em Toledo (PR) e tem capacidade de produção de 18 mil toneladas por mês, com rações para aves e suínos. Por motivos de contrato, a Vaccinar não revela os valores envolvidos na transação. O objetivo da companhia é crescer 20% em relação ao ano passado, bater a casa dos R$ 600 milhões de faturamento em 2019 e atingir a marca de R$ 1 bilhão em 2022.

Para isso, a empresa vai investir R$ 35 milhões neste ano em galpões, maquinário e aumento da capacidade produtiva. No ano passado, a Vaccinar faturou R$ 500 milhões.

Orçamento
Setor de máquinas quer R$ 2,5 bi para o Moderfrota

O setor de máquinas agrícolas pediu R$ 2,5 bilhões ao Ministério da Agricultura para complementar o orçamento do Moderfrota, linha de financiamento de tratores e colheitadeiras. No ano passado, o setor já havia requisitado R$ 3 bilhões à ministra Tereza Cristina. Mas, diante da oferta de apenas R$ 400 milhões por parte do Ministério, reduziu a pedida. O setor cresceu 12% no ano passado em relação a 2017 e espera um incremento de 10% para este ano.

Café
Exportação registra o maior volume em 5 anos
As exportações brasileiras de café chegaram a 27,85 milhões de sacas de 60 quilos, no acumulado de 2018/2019, e registraram o maior volume dos últimos cinco anos. Entre os meses de julho de 2018 e fevereiro deste ano, os embarques do grão para o exterior cresceram 32,3% na comparação com igual período da safra passada. A receita já soma US$ 3,77 bilhões em 2018/2019, alta de 8,8% sobre 2017/2018. Entre os principais compradores do café brasileiro, estão a Alemanha (1,24 milhão de sacas), os Estados Unidos (1,23 milhão de sacas)e a Itália (746 mil sacas).

Cup of Excellence
Brasil volta a importar maçã e pera da Argentina

Istock

Uma resolução no Diário Oficial da União (DO), publicada no mês passado, autoriza a retomada da compra de maças e peras produzidas na Argentina. A importação das duas culturas estava suspensa desde março de 2015, em virtude da presença da praga Cydia Pomonella em produtos daquele país. Conhecida como traça-da-maçã, a praga foi erradicada no Brasil em 2014 e a suspensão visava manter a saúde dos pomares brasileiros.

Ciência
Pesquisa quer aumentar variedade de laranjas no Amazonas

Divulgação

Doutor em botânica, o agrônomo José Ferreira, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), coordena uma pesquisa para aumentar o número de variedades de laranjeiras no estado. Ele quer apresentar opções para os produtores à tradicional laranja-pera. O estudo também tem o objetivo de avaliar, entre outras coisas, a resistência de pragas e doenças na produção local de citrus.

Na safra 2018/2019, a produção de laranjas no Brasil está estimada em 284,88 milhões de caixas de 40 kg, o que representa uma alta de 3,3% em relação à safra anterior.

Corporativo
Executivo da São Martinho assume Conselho da Unic

Divulgação

Com mais de 30 anos de experiência no setor de biocombustíveis, o executivo Marcelo Ometto, presidente do Conselho de Administração da São Martinho, assumiu, no final do mês passado, a Presidência do Conselho Deliberativo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA). Ometto é graduado em administração de empresas pela Universidade de Ribeirão Preto (SP), com especialização em administração agrícola pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ele substitui Pedro Mizutani, vice-presidente de Relações Externas da Raízen.

Fonte: Dinheiro Rural

Deixe uma resposta