Produção de rações tem queda por causa do frango

Relação de troca melhorou um pouco desde junho…

Produção de rações tem queda por causa do frango

Comida para aves deverá fechar em -2% por embargo europeu, greve e custo de farelo e milho. Relação de troca chegou a 510 gramas pagas ao produtor para 1kg de ração, estabilizando agora em 400 gr. Ao final de 2018, expectativa é de 0,2% de queda no total produzido de rações, com bovinos de corte e suínos mais ou menos em estabilização, aves de postura em alta e suínos em queda de 3%. Ao final deste ano, o setor de alimentação animal projeta um leve recuo de 0,2% na produção anual de rações em função dos impactos da grave dos caminhoneiros, o embargo europeu e os custos com a de produção do milho e farelo.

Segundo o vice-presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações), Ariovaldo Zani, o primeiro trimestre deste ano ficou comprometido pela a alta do custo da alimentação animal. “Além disso, a paralisação dos caminhoneiros e alguns embargos aos nossos produtos acabaram culminando em um retrocesso de 1,5%, sendo que avicultura de corte sofreu um pouco mais”, afirma. A demanda de ração para a bovinocultura de leite teve um recuo aproximado em 6% e avicultura de corte teve uma queda de 3,3%. No entanto, a liderança ressalta que tem uma tendência no aumento no alojamento desde o ano passado. “Com todo o cenário econômico, os consumidores passaram a comprar a proteína mais barata que é o ovo, sendo que isso incentivou o investimento em poedeiras e resultou em excesso de oferta”, pontua.

Deixe uma resposta