Sem crise, mercado pet é destaque em criatividade e faturamento

Conheça serviços oferecidos em Ribeirão desenvolvidos especialmente para o conforto, qualidade e estilo de cachorros e gatos.

De alimentação balanceada a confecção própria de roupas, as criações do mercado pet e formas de mimar o seu amigo de quatro patas parecem não ter fim em Ribeirão Preto. Há até clínicas especializadas em reabilitação física e creches matinais.

O reflexo, além de abrilhantar os olhos de quem procura inovação, aparece no crescimento dos investidores. Só em 2017, segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), cerca de US$ 20 bilhões foram movimentados em todo o Brasil neste meio, com crescimento de 7,9% em relação ao levantamento feito em 2016.

Os dados mais atualizados fizeram o setor conquistar a marca de 3º País com maior faturamento no mundo, principalmente na alimentação. Os números de 2018 ainda não foram divulgados.

Nicole Povel, proprietária da Papa pets, no Centro da cidade, aliou o diploma de engenheira de alimentos às demandas encontradas dentro de casa, há dois anos, para montar o próprio negócio. Atualmente, produz receitas naturais, balanceadas e suplementadas para cachorros.

“Recebemos o registro do Ministério da Agricultura, que regulamenta toda a produção e estamos em fase de investimento. Já entregamos na região e em São Paulo para tutores que estão preocupados com a própria saúde e querem proporcionar o mesmo para o animal, mas, maioritariamente para cães com problemas de saúde, como intolerâncias”, explica.

Os produtos, cozidos com alimentos reais, como arroz, carnes, vegetais e fibras, são vendidos por meio de assinaturas mensais e substituem as rações convencionais. O valor varia entre R$ 124 e R$ 260. Existem, ainda, os petiscos de frutas, cupcakes de frango e kit festa. Nada é doce no cardápio.

Outra proposta personalizada é a das roupas feitas sob medida, onde o limite nada mais é do que a criatividade seja para o dia a dia, festas de aniversários ou até entradas em casamentos.

Isabela Rodrigues dedica a vida à isso. Desde 2014, quando produziu o primeiro look canino para a Copa do Mundo, é procurada por donos de cachorros para desenvolver seus modelitos.

O trabalho já rendeu a ela o desenvolvimento da marca Blue & Co, abertura de um e-commerce e linha de produção própria, com distribuição em diversos municípios no entorno de Ribeirão Preto. A preocupação é respeitar as limitações e meios de respiração do corpo do cão.

“Não imaginei no início que a procura seria tanta, principalmente para casamento. Como os bichos tem se tornado cada vez mais parte da família, as pessoas fazem questão de vesti-los e leva-los neste momento. Muitas vezes, produzimos até uma réplica do vestido das daminhas”.

Valores entre R$ 60 e R$ 70 normalmente pagam o serviço, mas as encomendas podem variar.

Saúde boa pra cachorro  

Na Clínica Vet Care, da veterinária Taise Filipen, o bem-estar dos pets é prioridade. O trabalho de tratar, reabilitar e prevenir exercido pela profissional, apesar de já ter mais de 10 anos na cidade, ainda é desconhecido por boa parte da população e causa estranhamento na maioria.

“Os procedimentos são os mesmos dos humanos, tanto em casos de fraturas quanto medicina preventiva. Problemas de coluna, por exemplo, são comuns e necessitam que a função seja restabelecida para aumentar a qualidade de vida. A procura está aumentando bastante”, conta, ressaltando, ainda, que o tratamento deve ser analisado individualmente. Para uma sessão de fisioterapia, a quantia cobrada é de R$ 80, mas a quantidade é analisada pela veterinária.

Mas, por que tantos cuidados?  

“Tratar bem um animal de estimação não é a mesma coisa que pecar nos exageros. Assim como os seres humanos, cães precisam de limites e disciplina. Alguns avanços de produtos e até materiais de trabalho são extremamente positivos, desenvolvidos por etnólogos, que estudam os bichos em seus habitats naturais. Outros já visam mais o mercado financeiro que o bem-estar e podem ser prejudiciais aos nossos animais. O que aconselho sempre é prestar atenção nos alimentos e assistência veterinária, a fim de tratar a parte nutricional, fisiológica e não aderir crenças pessoais na rotina do bicho. Isso pode desenvolver problemas gravíssimos em seu temperamento, como agressão e sociabilidade com outros cães e pessoas. Os mimos são aceitáveis, porém, são aceitáveis e muito bem vindos”, opina Sérgio Cantadeiro, adestrador e psicólogo canino.

Fonte:A cidade on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *