Tanque suspenso pode aumentar em até 6 vezes o quilo de peixe produzido

O cultivo de peixes em tanques suspensos é uma técnica que tem ganhado cada vez mais espaço dentro da atividade. De acordo com a engenheira agrônoma e instrutora credenciada do Senar-MT Thayssa Cristina, esse sistema apresenta diversas características que facilitam o manejo. Por não necessitarem de escavação, a instalação é relativamente mais rápida do que o tradicional viveiros de terra.

Thayssa explica, que dentre as vantagens do sistema, está o menor consumo de água. Por armazenar melhor a água, o produtor não terá problemas com infiltração, além de oferecer um menor risco sanitário e menos mão de obra, – sem abrir mão de pessoas especializadas no assunto-. Outra vantagem é a otimização de espaço. Em contrapartida, o sistema requer um alto custo de implantação.

Para quem deseja investir na instalação dos tanques suspensos, a especialista recomenda que o produtor verifique o espaço disponível que o sistema irá requerer. O tanque pode ser circular, quadrado ou retangular. E a fonte de água pode vir de: uma nascente, outro curso de água principal, um canal de irrigação ou um açude, com a água conduzida através de canais abertos ou tubulares. Ou por meio de bombas de água. Ou seja, tanto na entrada quanto na saída, a água é controlada.

Para a instalação do sistema, o produtor também deverá ter um cuidado com a cor interna do tanque. Espécies que possuem um comportamento mais “agressivo” geralmente preferem cores mais escuras, explica a engenheira. Fatores como: escolha certa do método de produção, objetivo de uso do tanque bem definido, e a disponibilidade da água também devem ser observados, lembra a engenheira.

O tema, foi assunto no Bom Dia Senar-MT desta quarta-feira (13). Segundo Thayssa, o produtor pode aumentar em seis vezes mais quilos de peixes em comparação com o sistema convencional.

Para quem deseja saber mais sobre a atividade, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) oferece cursos e treinamentos no assunto, bastar entrar em contato com o sindicato rural de seu município.

Fonte:Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *