USDA anuncia novas medidas para prevenção da Peste Suína Africana

De acordo com o comunicado divulgado pelo órgão, as medidas devem fortalecer as proteções anunciadas no ano passado, depois que a doença suína chegou à China.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou na quarta-feira (06/03) medidas adicionais para impedir que a febre suína africana (ASF) entre nos Estados Unidos, mesmo que a doença se espalhe internacionalmente.

De acordo com o comunicado divulgado pelo órgão, as medidas devem fortalecer as proteções anunciadas no ano passado, depois que a doença suína chegou à China. O objetivo continua a ser proteger a indústria suína do país contra esta doença.

Em coordenação com a indústria de suínos, o subsecretário de Programas Reguladores e de Marketing do USDA, Greg Ibach, declarou as seguintes atividades aprimoradas para intensificar os esforços de várias agências para a prevenção da entrada da ASF nos Estados Unidos:

Trabalhar com a Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) para treinar e adicionar 60 equipes adicionais para um total de 179 equipes que trabalham nos principais portos comerciais, marítimos e aéreos dos EUA;

Coordenar com o CBP a expansão dos rastros de chegada nos principais portos marítimos e aéreos comerciais dos EUA – incluindo a verificação de carga para produtos suínos e garantir que os viajantes que apresentam risco PSA recebam inspeção agrícola secundária;

Aumentar as inspeções e fiscalização das instalações de alimentação de lixo para garantir que o lixo alimentado seja cozido adequadamente para evitar a propagação potencial de doenças;

Aumentar a conscientização do produtor e incentivar a autoavaliação dos procedimentos de biossegurança na fazenda;

Trabalhar para desenvolver procedimentos de testes precisos e confiáveis para rastrear o vírus em grãos, alimentos e aditivos e amostras de fluidos orais de suínos;

Trabalhar em estreita colaboração com funcionários do Canadá e do México em uma abordagem norte-americana coordenada para a defesa, resposta e manutenção do comércio da PSA;

E continuar a coordenação de alto nível com a liderança da indústria de carne suína dos EUA para assegurar esforços unificados para combater a introdução da PSA.

Ibach diz entender as preocupações com os surtos no exterior. “Estamos comprometidos em trabalhar com a indústria suína, nossos produtores, outras agências governamentais e países vizinhos para tomar essas medidas adicionais.” Finaliza.

Fonte:  Suinocultura Industrial

Deixe uma resposta