Valor x Produtividade – Parte I

      Nenhum comentário em Valor x Produtividade – Parte I

Dando continuidade à nossa série de vídeos sobre Custo, hoje vamos falar sobre um conceito muito importante para quem pensa em produzir ração que é o valor x produtividade.

Como já mencionei em outros vídeos não são todas as pessoas que conseguem começar uma fábrica de ração com uma linha de grande capacidade, mas mesmo tendo uma produção baixa e tendo algumas desvantagens no custo produtivo é possível Sim produzir ração e obter uma boa rentabilidade.

Para quem está chegando agora ao site estou deixando aqui o link para o primeiro vídeo de custos: Como Calcular os Custos de uma Fábrica de Ração – I.

Nessa parte do vídeo vou destacar três pontos fundamentais: 

  • Compras de Matéria Prima
  • Tamanho da embalagem;
  • Formulação a ser produzida.

O primeiro ponto que iremos falar é sobre o armazenamento de matéria prima, nesse ponto fizemos alguns cálculos sobre a oportunidade de transformar a recepção de matéria em sacos e big bag para armazenamento em silos.

Em quanto tempo se paga o investimento de um ou dois silos de armazenamento para milho e farelo soja, os dois principais ingredientes de uma fábrica de ração.

Dentro desse tópico ainda falamos sobre as oportunidades de se fazer uma compra programada e as vantagens de se receber matéria prima com programação e com um preço justo, se precavendo das variações dos preços ao longo do ano.

A respeito do tamanho da embalagem, é importante ressaltar que quanto menor a linha de produção, menor tem que ser a embalagem, para que se tenha mais produtos para ser entregue. Conforme a tabela abaixo e demonstração dos cálculos no vídeo.

 E por último seria a formulação, linhas pequenas devem evitar formulações de combate (de baixo custo) e investir formulações que agreguem melhor o custo benefício. E deve focar em linhas de ração premium e super premium, assim como rações especiais como raças pequenas, filhotes e com ingredientes especiais como grãos ancestrais, grãos não transgênicos ou até mesmo rações sem a presença de grãos, que podem gerar uma lucratividade maior.

Na continuação desse vídeo vou demonstrar os cálculos de custo com diferentes tamanhos de embalagem, e traçando uma perspectiva de compra para os silos de armazenamento e o seu relativo tempo de pagamento.

Nos vemos no próximo vídeo!

Um Abraço,

 Eng. Rafael RS

 

Vídeos Anteriores:

Como calcular os custos de uma fábrica de ração – I

Como Calcular o Custo Produtivo de uma Fábrica – II

Como Calcular o Custo Produtivo de uma Fábrica – III

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *