Veja o que pode mexer com o preço do milho na próxima semana

Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de milho na próxima semana. As dicas são do analista da Safras & Mercado, Paulo Molinari.

saca de milho em grão
Foto: Ascom/ Seagri

A semana começa com as atenções voltadas para o próximo relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que sai na próxima terça-feira, dia 4. Os operadores de mercado devem se posicionar frente a isso. Além disso, os olhares também estarão atentos ao câmbio. Confira todas as dicas abaixo!

– Mercado externo foca no relatório de Oferta e Demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) na terça, dia 09

– O relatório ainda não divulgará os dados para a safra nova, 2019/2020. Isso só deve acontecer em meados do dia 10 de maio

– Expectativa de estoques mais altos no milho devido aos números do estoque trimestral.

– Tensão com clima a partir do dia 20 de abril com início do plantio. Com previsão de chuvas acima do normal e temperaturas abaixo do normal em todo o Meio-Oeste parece difícil um plantio iniciando dentro da rotina normal neste ano.

– Plantio do milho tem data técnica de finalização em 30 de maio e até o dia 10 de maio deve atingir pelo menos algo próximo a 50% da área.

– Guerra comercial segue em vias de conclusão, mas com pouco efeito direto para o milho.

– Mercado interno bastante calmo.

– Mercado foca a safrinha que dispõe de boas a ótimas condições de desenvolvimento.

– Não há riscos para a safrinha, além dos normais para uma lavoura com este perfil.

– Alguma perda de potencial de produtividade com chuvas mais limitadas daqui a frente não mudará sentido dos preços.

– Foco agora está na combinação de CBOT + câmbio + prêmio – frete. Ou seja, preços de exportação no porto. O Brasil precisará retirar 30 milhões de toneladas na exportação no segundo semestre e tem até agora apenas 2 mt embarcadas.

– Atenção ao clima nos EUA de forma mais precoce neste ano devido ao risco de excesso de umidade no plantio.

– Atenção ao câmbio devido ao quadro de votação da Previdência.

– Mercado interno tem mais 60 dias até a colheita da safrinha.

– Safrinha do MT em perfeitas condições e praticamente salva de qualquer variável climática mais negativa.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *