VOU MONTAR UMA FÁBRICA DE RAÇÃO E AGORA?

      Nenhum comentário em VOU MONTAR UMA FÁBRICA DE RAÇÃO E AGORA?
VOU MONTAR UMA FÁBRICA DE RAÇÃO E AGORA?
 
É normal chegarmos a um ponto de nossas vidas e resolvermos montar algum projeto em paralelo a aquele que nós trabalhamos.
Esses projetos oscilam de acordo com a resposta que o mercado nos dá. Ano após ano aparece um setor que se destaca mais do que os outros e como consequência mais pessoas desenvolvem projetos nesse setor em ascensão.
Mas com o mercado de ração isso não acontece, o mercado tem se tornado sólido, e mesmo com as inúmeras fábricas que vem se instalando ainda sim temos um grande mercado em aberto para ser trabalhado.
Tabela 1 – Dados do setor produtivo
Anos
Toneladas
Taxa de crescimento da produção em relação a 1994
Valor movimentado pelo setor, em milhões de dólares
Taxa de crescimento do valor movimentado em relação a 1994
1994
220.000
285,2
1995
380.000
73%
469,4
65%
1996
420.000
91%
513,8
80%
1997
550.000
150%
444,3
56%
1998
750.000
241%
890,6
212%
1999
950.000
332%
1.106,0
288%
2000
1.000.000
355%
1.050,0
268%
2001
1.172.000
433%
957,5
236%
2002
1.234.000
461%
927,1
225%
2003
1.295.000
489%
1.200,0
321%
2004
1.425.878
548%
1.466,2
414%
2005
1.562.414
610%
1.886,4
561%
De acordo com a tabela acima o mercado teve um crescimento produtivo de 610% comparado com a produção de 1994. E ele não para de crescer, as empresas que até o ano de 2005 trabalhavam somente a ração PET com as suas extrusoras hoje estão se diversificando produzindo ração para peixes de tanque rede e tanque escavado.
Mesmo sendo a menor parte produtiva da planta industrial o valor tem ajudado a pagar as despesas da fábrica e o valor que se arrecada com a produção de ração PET pode ser totalmente voltada para o reinvestimento na empresa.
Hoje na internet é possível achar diversos sites oferecendo soluções para fábricas de ração a um preço muito pequeno. Mas será que essas plantas são realmente funcionais?
Como diria o ditado, “o barato sai caro” a decisão de compra de uma fábrica de ração é um assunto no qual o futuro empreendedor tem que estudar todos os detalhes, e nesse caso é importante ressaltar a qualidade de um projeto.
Questione ao vendedor as seguintes perguntas:
1)      Como é feita a moagem das matérias primas? Essa planta utiliza 1 ou dois moinhos?
2)      Qual a capacidade de armazenamento  de grão que a fábrica terá?
3)      Eu consigo armazenar quanto de matéria prima nos silos de dosagem?
4)      É necessário trabalhar com todos os motores ligados durante todo o processo produtivo? Ou tem algum silo de armazenamento de matéria prima antes da extrusão.
5)      Exija um projeto e durante a visita do vendedor peça para que ele leve impresso para que ele te explique todo o processo produtivo.
Hoje o que se vê no mercado são empresas fazendo micro fábricas na qual tem pouca capacidade armazenamento de matéria prima e com isso exige que se trabalhe com todos os motores ligados durante todo o dia.
Não são todas as empresas que fazem isso empresas sérias te apresentam soluções para todos os possíveis problemas que você possa vir a ter, mesmo que você não conheça nada de fábrica de ração essas empresas ainda sim são “obrigadas” a ajudar o cliente a desenvolver o projeto dele.
Essas empresas não são obrigadas a fazer o seu plano de negócios, mas elas tem a obrigação de informar sobre os seguintes assuntos:
1)      Fornecedores de Matéria: Uma matéria prima de qualidade é essencial para obter uma ração de qualidade mesmo ela sendo uma ração tipo combate de menor valor agregado é importante utilizar matérias primas inócuas e de qualidade, dentro das matérias primas destacamos os seguintes:
A)                          Grãos:responsáveis pela nutrição do animal e durante a extrusão um grão mais especificadamente (Milho e Arroz), ajudam no processo de expansão na extrusão e são ótimos veículos de mistura dos ingredientes, esses são os mais fáceis de achar no mercado. Toda e qualquer substituição de amido ou carboidrato na formulação deve ser acompanhado por um responsável técnico da fábrica.  Dentre as substituições temos: Triguilho, Farelo de trigo, Aveia em grão, bandinha de feijão. São ingredientes que podem abaixar o custo produtivo da formulação, mas cada caso tem que ser analisado de acordo com região na qual será instalada a fábrica.
B)                           Micronutrientes: Hoje no mercado existem no mínimo 5 boas empresas na qual fornece micronutrientes para as fábricas de ração e devem aparecer mais umas 5 nos próximos anos. O trabalho delas é totalmente técnico de acordo com a formulação que o cliente quer trabalhar eles calculam o valor ideal de micronutrientes que ele terá que adicionar na batelada dele, e se o cliente não possuir uma formulação pronta eles sugerem uma formulação inicial para o cliente começar a trabalhar até que tenha a condição de trabalhar as próprias formulações.
C)                            Fontes de proteína: Atualmente a indústria trabalha com as famosas farinhas de carne, vísceras e sangue, elas consegue complementar as rações fazendo com que tenha no mínimo 18% que irá se classificar como ração de combate ou de baixo custo e no máximo 45% na qual essa será uma ração Super Premium e terá um valor agregado maior. Hoje se encontra fácil esse tipo de matéria prima no Brasil e o número de pessoas que estão entrando nesse ramo tem crescido junto com as fábricas de ração.
D)                          Óleos e Palatabilizantes: E por último os óleos e palatabilizantes, esses dois ingredientes são responsáveis por melhorar o sabor durante a mastigação do animal e de ativar o olfato do cão ou do gato começar a comer a ração desde o momento quem que você está servindo a ele. Para se comprar o óleo existem vários frigoríficos  principalmente os de aves na qual fornece o óleo para a aplicação e o palatabilizante até existe outras empresas, mas acredito que 98% do mercado está nas mãos de uma multinacional e realmente ela merece pela qualidade do produto que esta trabalhando.
2)      Fornecedores de Caldeira: Toda planta industrial necessita de vapor para poder fazer a secagem dos grãos de ração para injetar no pré-condicionador, na qual irá iniciar o cozimento das matérias primas e nos canhões da extrusora para poder aumentar a temperatura interna de cozimento. Atualmente existem inúmeras empresas que trabalham com esse tipo de equipamento.
3)      Compressor de ar: Essas plantas industriais tem um consumo relativamente alto de ar, por possuir varias válvulas e comportas pneumáticas, esse é um equipamento que deve ser de adquirido com um bom fornecedor para que ele não te deixe na mão, uma fábrica sem ar comprimido e sinal de faturamento caindo devido à falta de produção.
O investimento em uma fábrica de ração nunca é baixo além dos equipamentos o cliente ainda tem que fazer investimento em prédio e energia elétrica, contudo quando o investimento é feito com empresas de qualidade ele sempre irá auxilia-lo nessa caminhando de forma que as dificuldades sejam transpostas facilidade.
Trabalhe massivamente com o vendedor que atende a sua região somente ele poderá te mostrar o caminhão do $UCE$$O.

 

Deixe uma resposta